Texto
MFN: 40405
Estado: n    Tipo: a    Nível bibl.: m    Nível hierárquico: 0    Nível de cod.:      Forma de desc.: 

001:0052643
005:20130102134608.0
021:  ^aPT
035:  ^a0014287
035:  ^a0014717
035:  ^a0014775
035:  ^a0014865
035:  ^a0014868
035:  ^a0015425
035:  ^a0017499
035:  ^a0017619
035:  ^a0019907
100:  ^a20050302d2003    m  y0pory0103    ba
101:0 ^apor^cpor
102:  ^aPT
200:1 ^aSofrimento físico, psíquico e moral no sector do calçado em Portugal^econtributos para uma psicodinâmica do trabalho^fClara de Assis Coelho de Araújo
210:  ^aPorto^cFaculdade de Psicologia e Ciências de Educação da Universidade do Porto^d2003
215:  ^a379 p.^cil.
300:  ^aTese de doutoramento
328:  ^aEnquadrada numa perspectiva de construção positiva da saúde, esta investigação tem por objectivo elucidar as razões pelas quais uma situação de trabalho que é tida como podendo oferecer ocasiões à pessoa que trabalha de construir o seu equilíbrio do ponto de vista da saúde, pode originar um sofrimento incontrolável e destrutivo. O núcleo da investigação situa-se na análise do sofrimento no e pelo trabalho nas suas dimensões física, psíquica e moral num percurso de descoberta progressiva do espaço hoje assumido pela psocodinâmica do trabalho. Criam-se três "janelas" de acesso ao sofrimento dos trabalhadores que configuram três estudos com abordagens metodológicas e fun damentos epistemológicos diferentes, de uma mesma parcela da realidade social - a com a que se confrontam os trabalhadores do calçado. Um primeiro que consistiu na análise das repercussões do desemprego na saúde mental do indivíduo, procurando-se associadamente observar a repercussão do stress no trabalho sobre a saúde mental do trabalhador. Desenvolve-se na perspectiva epidemiológica e num quadro pautado pelos padrões da nosografia psiquiátrica donde sobressaem conclusões que fomentam a abertura da segunda "janela" de acesso ao sofrimento dos trabalhadores no e pelo trabalho. Um segundo estudo, cuja opção metodológica foi o estudo de caso numa empresa de calçado recorrendo-se para tal á análise da actividade do trabalho. Neste estudo tornou-se visivel a existência de factores considerados de risco de perturbações musculo-esqueléticas (PME) relacionados com constrangimentos físicos e temporais directamente ligados às "novas formas de organização do trabalho". Um terceiro estudo cuja opção metodológica incide na Análise Colectiva de Trabalho (ACT) e se desenvolve em colaboração com a organização sindical do sector de calçado. A articulação destes estudos permite por um lado discutir e caracterizar o que, no trabalho, exige destes trabalhadores na gestão do sofrimento e por outro dá conta da existência clara de um sofrimento não valorizado socialmente que as organizações sindicais deficientemente conseguem impôr no debate público e social.
606:  ^aSaúde ocupacional^xSofrimento
606:^xDor
606:  ^aSaúde mental^xSofrimento
606:^xStress
606:  ^aTranstornos muscolosqueléticos^xDor
606:  ^aHigiéne e Segurança no Local de Trabalho
606:  ^aErgonomia
606:  ^aMedicina do trabalho
606:  ^aPsicopatologia do trabalho
620:  ^aPT
675:  ^a159.9:675.13
700: 1^aAraújo^bClara de Assis Coelho de
701: 1^4205
701: 1^4205
702: 1^aLacomblez^bMarianne^4727
801: 0^aPT
930:  ^d043-T ARA SOF [48]